Dicas

Como perceber se os pneus estão gastos?

Confira regularmente o desgaste dos pneus. A altura mínima exigida para a borracha é de 1,6 mm. Abaixo desta medida, o pneu é considerado ilegal.

Como vejo a medida?

Nas ranhuras principais de todos os pneus, existem indicadores de desgaste que ajudarão você a saber a hora de trocar. No caso dos pneus MICHELIN, o boneco em relevo que fica na parte lateral dos pneus ajuda você a localizar esses indicadores. Quando a profundidade da borracha chega ao nível indicado, fique atento. A MICHELIN e a SPEED PNEUS recomendam a troca dos pneus antes de chegar a esse limite.

A SPEED PNEUS te ajuda a verificar a condição dos seus pneus e saber se já está na hora de trocá-los. Faça seu próprio profundímetro (ferramenta utilizada para verificar a profundidade dos sulcos dos pneus) clicando abaixo:

Profundímetro SPEED PNEUS

Instruções: Imprima a imagem em cores, de preferência em papel cartão para durar mais, recorte e dobre nos locais indicados e pronto, você já pode verificar o desgaste dos seus pneus quando quiser. Lembre-se de verificar em 3 pontos da banda de rodagem (mais para fora, no meio e mais para dentro) e considere sempre o menor valor. Não sabe o que é banda de rodagem? Clique aqui e saiba mais sobre a estrutura dos pneus.

Aquaplanagem

Perigo nas chuvas: Dicas para se prevenir contra este grande inimigo

Sabe quando o carro passa pelo asfalto molhado e, por alguns segundos, ele parece deslizar, sem que você consiga controlá-lo? Esta perigosa experiência se chama Aquaplanagem: a perda de contato do veículo com o solo pela existência de uma camada de água debaixo do pneu.

Quando o veículo passa sobre a superfície molhada, forma-se uma espécie de onda à frente dos pneus. A banda de rodagem rompe essa onda, por sua compressão. O problema se dá quando a pressão do pneu é inferior à da água: sem conseguir empurrá-la, ele perde o contato com o solo.

3 dicas de ouro para evitar a aquaplanagem:

1. Sempre confira a pressão dos pneus;
Se os pneus estiverem 30% abaixo do recomendado pelo fabricante, a probabilidade de sofrer aquaplanagem aumenta significativamente.

2. Nunca ande com pneus gastos;
Sem a profundidade do desenho de escultura, o pneu perde a capacidade de drenagem da água.

3. Diminua a velocidade.
Quanto maior a velocidade do veículo e mais profunda for a poça de água, maior a probabilidade de ocorrer aquaplanagem. Portanto a dica é pegar mais leve no acelerador, principalmente quando há muita chuva.

CALIBRAR OS PNEUS REGULARMENTE

Riscos de manter a calibragem errada. A pressão correta dos pneus é importante para sua segurança e economia.



A partir de levantamento feito nos eventos Pressão Certa pelo Brasil, a Michelin constatou que 45% dos motoristas rodam com a pressão fora dos limites recomendados. Cerca de 20% dos casos são considerados muito perigosos, com risco de rompimento do pneu a curto e médio prazo.

Manter a pressão recomendada dos pneus é garantia de melhor performance e durabilidade de seus pneus Michelin, além de ser essencial para sua segurança.



Por que é importante manter a pressão correta dos pneus?
Uma pressão abaixo da recomendada reduz a durabilidade do pneu (em pelo menos 8.000 km), aumenta o consumo de combustível e favorece o risco de explosão e acidentes na pista.

Como saber qual é a pressão correta para o seu veículo?
A pressão é definida conforme a carga do veículo e a geometria do pneu, de acordo com as especificações do fabricante do veículo e as regulamentações internacionais (INMETRO).



 

RISCOS DA BAIXA PRESSÃO DOS PNEUS

A baixa pressão pode provocar uma redução de 30% na durabilidade do pneu. Quanto mais baixa a pressão, maior a velocidade de desgaste e maior a sobrecarga da banda de rodagem com o solo.

A rodagem de um pneu com baixa pressão ocasiona uma deformação exagerada e um aquecimento anormal. A consequência é a degradação irreversível dos elementos que constituem o pneu, podendo provocar descolamentos internos e pode favorecer o risco de explosão do pneu.

A baixa pressão também compromete a dirigibilidade do veículo, ou seja, provoca uma redução na precisão da direção, o que pode ocasionar acidentes graves.



Além disto, com a pressão mais baixa que a recomendada, a aquaplanagem surge em velocidades mais baixas que o normal.

RISCOS DA ALTA PRESSÃO DOS PNEUS

A área de contato com o solo diminui e reduz a aderência do pneu. Isto pode aumentar o risco de acidentes em casos de frenagem de emergência e ocasionar a perda da trajetória do veículo nas curvas, em alta velocidade.

O pneu, que participa da suspensão do veículo, fica mais rígido, provocando uma redução do conforto ao dirigir, assim como um desgaste prematuro da suspensão.

VERIFIQUE A PRESSÃO DOS PNEUS UMA VEZ POR MÊS

Se você cuida bem dos seus pneus, consegue manter a qualidade e o desempenho originais por muito mais tempo. Um dos cuidados que recomendamos é verificar a pressão dos seus pneus (inclusive do estepe) uma vez por mês e também antes de uma viagem. Manter a pressão correta é fundamental para a sua segurança.

MAS QUAL A PRESSÃO RECOMENDADA PARA MEU VEÍCULO?

A pressão correta varia de acordo com o modelo do carro, a posição do pneu (eixo dianteiro ou eixo traseiro) e a carga do veículo, quer dizer, carga normal até 3 passageiros mais bagagem ou 4 passageiros sem bagagem e carga máxima para 5 passageiros. Na maioria dos veículos, existe um selo na parte interna da porta, próxima ao pilar de segurança, que fica visível apenas quando as portas estão abertas. Alguns fabricantes também colocam essa informação no para-sol ou na tampa de combustível. Se não houver nenhuma indicação nesses lugares, basta olhar o manual do proprietário.

DIREÇÃO DEFENSIVA EM TEMPESTADES E NEBLINA

Confira a seguir dicas preciosas para aumentar sua segurança em tempestades, neblina ou geadas:
1. Diminua a velocidade, pois há perda de visibilidade e perigo de aquaplanagem;
2. Mantenha distância de pelo menos 10 metros do veículo da frente – a medida é o comprimento de aproximadamente dois carros;
3. Acenda o farol baixo durante o dia. Aumenta a visibilidade e alerta veículos de trás;
4. Ligue imediatamente o desembaçador traseiro;
5. Evite freadas bruscas e não faça manobras perigosas;
6. Utilize a velocidade do limpador no mesmo nível do volume de água da chuva;
7. Pare o carro no acostamento se a chuva estiver muito forte;
8. Não use as mãos para limpar vidros embaçados, pois eles ficarão engordurados. Utilize um pano apropriado;
9. Ligue o ar condicionado ou ventilador do carro. Se os vidros já estiverem embaçados, use ar quente;
10. No caso de neblina, acenda imediatamente o farol baixo ou luzes de neblina;
11. Jamais faça ultrapassagens;
12. Mantenha a velocidade constante, sem fortes acelerações ou freadas bruscas;
13. No caso de pistas de terra com muita lama, antes de tentar uma travessia verifique a consistência e profundidade das marcas deixadas por outros veículos. Se elas forem muito largas ou profundas, é melhor não arriscar.

ALINHAMENTO

Um aspecto muito importante que você deve cuidar sempre na manutenção do seu carro é o alinhamento. Alinhamento é o processo de regulagem dos ângulos da direção e suspensão do veículo. Basicamente são três ângulos a serem verificados no alinhamento:

Convergência/Divergência, Cambagem e Caster. O alinhamento do veículo ajusta os ângulos das rodas, mantendo-a perpendiculares ao solo e paralelas entre si.

Algumas boas razões para fazer o alinhamento dos pneus constantemente, já que o objetivo é otimizar a dirigibilidade e maximizar a vida útil dos pneus:

• Você economiza dinheiro, já que seus pneus vão durar mais; 
• A direção ficará mais leve, pois haverá menor resistência de rolamento;
• Você terá maior controle de direção, aumentando a segurança do veículo;
• Veículos com ângulos da suspensão e direção incorretos podem apresentar problemas de comportamento e de segurança.

Além disto, um alinhamento irregular causa um maior desgaste ao pneu e pode causar danos à suspensão, direção e rodagem.
• A direção do veículo puxa para um lado ou o veículo tende a ir para um lado quando está em linha reta;
• Os pneus fazem barulho nas curvas;
• O volante não está centralizado quando o veículo está em linha reta.

Nestes casos, você deve refazer o alinhamento mesmo que ele tenha sido feito há pouco tempo, para conservar os pneus e manter a segurança do veículo.

Se você percebe que seu carro puxa para a direita ou esquerda quando você libera o volante por um curto período de tempo, você precisa verificar o alinhamento do seu veículo.

E também:
• Em todas as revisões periódicas estipuladas pelo fabricante do veículo ou pelo menos a cada 7.000 quilômetros;
• Sempre após um impacto forte contra buracos, pedras, guias ou outros objetos, em caso de choque do pneu com uma calçada ou mesmo em acidentes mais graves como uma batida;
• Sempre que houver a substituição de algum elemento da suspensão ou da direção;
• Toda vez que notar algum comportamento estranho no veículo, tendendo a ir mais para um lado ou com dificuldade de se manter na trajetória;
• Quando forem verificados desgastes irregulares nos pneus;
• Sempre que houver substituição de pneus.


 

BALANCEAMENTO

Balanceamento é o processo de compensação feito para equilibrar o conjunto de pneus e rodas do veículo. O balanceamento permite que a roda gire sem provocar vibrações nos veículos em determinadas velocidades.

• O balanceamento é necessário para suprimir trepidações que possam ocorrer no volante do carro. 
Além disto, quando há desbalanceamento, a direção torna-se instável e ocorre um desgaste irregular dos pneus.

• A maneira mais comum de perceber um veículo com pneus desbalanceados é quando o motorista sente trepidação no volante - ou às vezes vibrações no veículo todo – ao alcançar velocidades igual ou maior a 60 km/h.

Porém, quando os pneus do eixo de tração e dos eixos auxiliares está desbalanceado, é mais difícil perceber as vibrações.

Por este motivo é necessário balancear todas as rodas com frequência. Se você percebe que o seu volante vibra ou o seu carro apresenta barulhos em determinadas velocidades, você precisa verificar o balanceamento das rodas do seu veículo.

E também:
• Sempre que houver substituição de pneus;
• Sempre que for efetuado conserto em pneus ou câmaras;
• Por ocasião de vibrações no volante ou guidão;
• Sempre que houver substituição de elementos do conjunto rodante – por exemplo: pastilhas de freios, rolamento da roda, peças da suspensão, etc;
• Para conjuntos de bicicletas ou motocicletas que tenham rodas com raios. Neste caso, verifique periodicamente a tensão e o estados deles;
• A cada 7.000 quilômetros rodados.
• O balanceamento nas quatro rodas é absolutamente essencial para o conforto na condução e na manutenção do desempenho dos pneus.

RODIZÍO

Rodízio é a troca periódica de posição dos pneus nos eixos. Isso proporcionará o desgaste mais uniforme, prolongando a vida útil dos pneus e assegurando o bom comportamento do veículo.

Devido às características dos veículos, como por exemplo, a tração dianteira ou traseira e os ângulos da suspensão, pneus mais gastos em uma posição do veículo e mais novos em outras podem desequilibrar o veículo em frenagens e curvas. Por isto o rodízio periódico é indispensável para fazer os pneus se desgastarem de maneira homogênea e manter o equilíbrio do veículo em todas as situações, melhorando a segurança.

É importante verificar periodicamente o estado dos pneus, mesmo na parte interna. Se percebemos nesta verificação que os pneus do eixo dianteiro estão um pouco mais gastos que os pneus traseiros ou vice e versa, devemos fazer o rodízio dos pneus entre os eixos.

Se os pneus de um lado do veículo estão desgastando mais do que o outro lado, devemos inverter os lados dos pneus para conservá-los por mais tempo e uniformizar o desgaste em todas as posições.

Se os dois fatores ocorrem ao mesmo tempo, devemos fazer um rodízio em "X" para equilibrar os desgastes dos pneus.

Assim conservamos o equilíbrio do veículo quanto à aderência preservando a segurança na direção.

• O rodízio deve ser realizado preventivamente em todas as revisões periódicas determinadas pelo fabricante do veículo ou a cada 7.000 km, em função da recomendação do fabricante do veículo contida no Manual do Proprietário ou da forma de desgaste dos pneus observada.
• Os desgastes acentuados de alguns pneus do veículo, evitando a troca prematura de um ou dois pneus somente. Pneus mais gastos desequilibram o veículo e trazem problemas de comportamento e aderência.

DICAS DE SEGURANÇA SPEED PNEUS

• Calibre os pneus pelo menos a cada 15 dias ou antes de uma viagem.
• Se um pneu perde mais que 1,5 PSI/mês, existe um risco de fuga anormal da pressão: verificar o conjunto pneu/roda com um profissional qualificado.
• Nunca desinfle um pneu aquecido.
• Ter tampas nas válvulas de todos os pneus.
• Não esqueça de verificar a pressão do pneu estepe.
• Depois de rodar com uma pressão muito baixa, nunca calibrar o pneu novamente sem verificar se seu interior apresenta alguma anomalia.
• Um pneu inflado com nitrogênio deve ser verificado segundo as mesmas regras de um pneu inflado com ar. A utilização do nitrogênio não substitui a verificação quinzenal da pressão dos pneus.

Site Desenvolvido por: